Cidades turísticas de GO ficarão lotadas no Carnaval, mesmo sem festa

Embora a pandemia do novo coronavírus tenha provocado o cancelamento de festas de Carnaval, alguns eventos ainda serão permitidos em hotéis, pousadas e restaurantes de cidades turísticas comumente frequentadas por brasilienses no Entorno. A expectativa de municípios como Caldas Novas, Pirenópolis e Alto Paraíso, em Goiás, é de receber milhares de turistas no feriado.

Apesar de terem alterado o esquema de eventos para evitar a contaminação pela Covid-19, a quantidade de pessoas em hotéis, pousadas e flats preocupa. Apenas Caldas Novas prevê a chegada de 40 mil turistas, sendo grande parte de Brasília.

Caldas Novas

Segundo o diretor da Secretaria de Turismo de Caldas Novas, Solimar Gomes de Neiva, a rede hoteleira – que tem capacidade máxima de cerca de 80 mil pessoas – está liberada para atuar com até 70% da capacidade. “Aguardamos mais o seguimento de famílias, porque o folião mesmo não virá”, disse.

De acordo com Neiva, os hotéis “têm total liberdade para fazer eventos, desde que tenham alvará e que obedeça todos os protocolos”. “Também terá Lei Seca das 0h até às 6h. E vamos atuar muito em cima das possíveis festas clandestinas”, declarou.

Conforme Marcelo Palmerston, diretor-presidente da Associação AQUA, que representa o trade turístico da região, em tempos normais, o Carnaval da cidade recebia cerca de 150 mil pessoas. Neste ano, empresários do ramo preveem um cenário diferente, mas ainda com milhares de turistas.

“Quando a gente fala que teremos em torno de 40 mil turistas, falamos que vamos ter metade do fluxo de pessoas que se hospedam nos meios de hospedagem. Mas, além delas, com certeza vamos receber também os proprietários [de apartamentos, flats] e seus parentes, convidados. Isso também gera um outro número de pessoas somado ao dos turistas. Então, a expectativa é que a gente chegue a 70 mil pessoas”, assinalou.

Palmerston destaca, porém, que “os hotéis estão seguindo rigorosamente os protocolos de segurança”. “Caldas Novas segue com todos os cuidados, todas as empresas abertas adotam o alvará Covid, então a gente defende que é um turismo bastante seguro.”

Caldas Novas
Pirenópolis

Em Pirenópolis, as restrições foram ampliadas. Segundo informa a secretária de Turismo, Vanessa Leal, está proibida qualquer festa, seja em ambiente particular ou público. “O que pode é som ambiente nos estabelecimentos, música, mas qualquer ato que caracterize festa está proibido no município”, afirmou.

“A cidade também adotou a Lei Seca das 0h às 6h. Os empreendimentos, de maneira geral, só podem funcionar até meia-noite. A hotelaria está atuando apenas com 80% da capacidade, bares e restaurantes com 65% e atrativos naturais com 80%”, pontuou Vanessa.

Nessa sexta-feira (12/2), a cidade começou a controlar o acesso de visitantes. A restrição permanecerá até o próximo dia 17, Quarta-Feira de Cinzas.

“Apesar de aqui não ter ponto facultativo nem Carnaval, nós recebemos um fluxo muito grande do DF. Como Brasília terá feriado, sabemos que receberemos bastante gente e adotamos medidas mais específicas, como o controle de acesso à cidade mediante solicitação de reserva. Todos turistas deverão apresentar a reserva na entrada, para evitar pessoas sem rumo dentro da cidade. Também faremos um trabalho de orientação na entrada, apresentando as normas do município, do tráfego de veículos…”, explicou a secretária.

Ainda conforme Vanessa, antes da pandemia Pirenópolis costumava receber cerca de 20 mil turistas nesta época do ano. Contudo, uma vez que “é um período totalmente atípico agora”, a prefeitura não possui uma expectativa de público para este Carnaval. “É o primeiro Carnaval sem festa, então com certeza o público estará reduzido”, comentou.

A cidade também proibiu a circulação de pessoas portando garrafas, copos ou outros recipientes de vidro. Além disso, estão proibidos acampamentos em locais públicos, churrascos ou outras aglomerações em logradouros públicos, além de shows e quaisquer tipos de som mecânico.

Alto Paraíso de Goiás

Em Alto Paraíso, a programação segue regras parecidas. Haverá barreira policial na entrada da cidade para controlar o fluxo de turistas.

De acordo com a secretária de Turismo e Desenvolvimento Econômico, Luciana Amado Guimarães, a rede hoteleira só pode funcionar com 65% da capacidade total – que é de 2,8 mil leitos. “Então, com certeza, já teremos uma queda neste ano”, afirmou.

Confira as medidas determinadas pelo Decreto nº 1.887/2021 para o enfrentamento da Covid-19 no município neste feriado:

  • Bares, lanchonetes, pizzarias, restaurantes, conveniência e congêneres; lojas de artesanato, suvenires e congêneres: horário de funcionamento das 7h às 22h
  • Supermercados e congêneres; lojas de vestuário e calçados: horário de funcionamento das 7h às 21h
  • Fica vedado o comércio de bebidas alcoólicas, inclusive na modalidade de entrega (delivery), bem como seu consumo em locais de uso público ou coletivo, das 22h às 6h
  • O município seguirá as recomendações do governo de Goiás e não declarará ponto facultativo nos dias 15, 16 e 17 de fevereiro.
Chapada dos Veadeiros, Goiás
Chapada dos Veadeiros

Já o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, localizado na região, receberá até 60% da sua capacidade total. O funcionamento permanece com entrada permitida das 8h às 12 h e saída até 18 horas.

É permitido o acesso à Trilha Amarela, de 11 km e que leva aos Saltos, Carrossel e Corredeiras, à Trilha Vermelha, de 11 km, com acesso aos Cânions e Cariocas e à Trilha Azul, da Seriema, com 850 metros. A Travessia das Sete Quedas, por ser a mais longa (23,5 km) e abrigar também o camping, permanecerá fechada.

Para a permissão de acesso aos atrativos será respeitada a redução na quantidade de pessoas permitidas, de acordo com a capacidade de cada um deles. O uso de máscaras é obrigatório para o acesso ao parque, permanência no Centro de Visitantes e demais espaços internos.

Logo na entrada, todos os visitantes têm a temperatura aferida. Os que registrarem acima de 37,8ºC não poderão acessar o parque e serão encaminhados ao serviço público de saúde.